Quem escreve

Quem escreve
Mineira, taurina, romântica, cerveja e tattoos.

Mi Cariño

Mi Cariño,



Lembra que disse que eu não tinha nada mais a dizer..


Acredito que na verdade não saberia o que dizer.

Você tem conseguido penetrar em um esquecido caminho por mim: meu coração. Ele sangrou muito por diversas razões. E ele ficou bipolar.Sério.

Estou no sofá da sala, refletindo mais uma vez sobre seu olhar que me traz segurança. Lembrando da nossa playlist onde praticamente todas as músicas tem uma conexão. E olho para seu relógio que traz o som conhecido dos ponteiros. Os segundos vão caminhando e não sei o que fazer. Porque tanto medo aqui dentro?

Eu quero me soltar, me jogar em seus braços e foda-se o mundo. Ando tão certinha e cheia de padrões e isso me irrita.

Desse jeito vou chegar a conclusão que sou bipolar e não meu coração. Mas seria uma mentira. Não gostamos de mentira.

Gostamos de olhar fundo nos olhos e nos contar as mais diversas aventuras já vividas e compartilhar os mais profundos segredos. Eu encontrei você. Você me encontrou. Nossos sentimentos se completam com uma tremenda reciprocidade.

Volto ao quarto e observo você dormindo, um sorriso surge em meu rosto e é aqui que quero lhe dizer o quanto é fácil e difícil te amar. E por uma simples razão: as cicatrizes do meu coração. Mas não porque elas doem com o passado. E sim porque elas estão se curando com seu amor. Este amor que vem removendo os espinhos que te machucam com palavras duras, as ervas daninhas que consomem os olhares carinhosos e as demais pragas que apenas estão para prejudicar.

 Um caminho novo está sendo formado e dessa vez tem como adubo o seu amor e sua amizade. Um processo às vezes doloroso , às vezes florido.

Uma vez li uma frase e é a mais pura verdade : "...mesmo que doa, aprender não é um processo à toa."

É um processo delicado para mim e nele tenho como base seu abraço carinhoso

E, realmente percebi que, quando você diz amor é ele mesmo: AMOR com todas as 4 letras.






Nosso Amor







Tanto se foi dito sobre o amor. 

Tantas palavras e letras soltas em melodias e notas para degustação da alma. 

 E o sabor encontrado foi o calor repleto de candura no encontro do nosso olhar, 

logo ali, em uma despedida que se tornou o início de uma história completa e real. 

 Um desejo antigo que como tempo de utopia se tornou realidade. 

 A cada toque a delicadeza das palavras, o dia-a-dia se encarregando 

de tornar tudo tão natural, tão fácil e perfeito. 

 Amor é único. 

Existem variações, contudo o sentido de amor conjugal é 

ímpar e intransferível pois necessita da cumplicidade, gratuidade e a reciprocidade.

O sentimento real é em sua totalidade: uma única presença. 

Não é divisível mas pode ser multiplicado.

 O tempo pára, as lembranças têm delicadeza e perfume, 

contratempos são doces como um banho de chuva de verão. 

 E é pela eternidade que somos levados a viver esse afável encontro que faz 

bem ao espírito e ao paladar. 

 Amor é puro, bom, sublime, terno, ágil, bonito, digno, esplendoroso,

 exige zelo e dedicação, generoso, singular e grato.

 É o nosso AMOR .